... mas também não é fácil estar acompanhado

 

Psicoterapia e Fé: Como integrar?

Um encontro inserido no programa de formação anual dos padres da Diocese, um encontro para agentes de Pastoral Familiar, um encontro para Psicólogos, médicos e outros técnicos e finalmente uma conferência aberta ao público.

 

 

             

 

Foi este o programa que o Peter Damgaard Hansen veio cumprir entre os dias 31 de Outubro e 3 de Novembro de 2014 em Lisboa. Ao todo terão sido cerca de 300 as pessoas que o ouviram. Pelo meio passeou e gozou da calorosa amizade dos portugueses que fizeram com que para ele e para a sua esposa, Deborah, Portugal agora passe a ser um Pais com muitos rostos concretos e muitas histórias para contar e recordar. Desde a visita ao Milagre Eucarístico de Santarém – desconhecido de muitos portugueses - ao passeio de Tuc Tuc pelas acidentadas colinas de Lisboa até à caminhada até ao castelo dos Mouros no meio de intensa trovoada que adensava o já misterioso ambiente de Sintra, passando por um almoço no seminário de Caparide condimentado com as inesgotáveis perguntas próprias da curiosidade dos jovens seminaristas e finalizado com um belo passeio por Cascais e Cabo da Roca, até um jantar ou outro mais calmo com amigos e uma hospitalidade verdadeira que se concretizou mesmo no dom da própria casa, foram mesmo muitas as experiências e para o provar partilhamos uma parte do que o Peter e a Deborah nos escreveram:

“Thank you for all your hospitality and taking us around. One high point was the visit in

Santarem beholding the Eucharistic miracle. That touched me deeply and the experience stays

with me ….thanks to all of you from our hearts. Before I never really thought about Portugal.

Now I brought home a deep heartfelt experience that Portugal is a real country with real

people - it has truly come alive as a place on the planet I like to go to and visit with friends.”

Quanto às conferências e aos dias de trabalho, só temos pena que nem todos tenham podido aproveitar. Se pensarmos que no último dia a lotação da sala quase duplicou em presenças…

Isto coloca-nos a questão: porque tanto interesse? O que é que as pessoas precisam de ouvir que as leva a vir em tão grande número, numa noite de chuva intensa, em busca de uma resposta?

O mundo aconselha-nos a fugir de tudo o que causa sofrimento e no que toca às relações de amor, a primeira reação diante do insucesso é logo “parte para outra”, “há mais peixe no mar”, “tens o direito de ser feliz” e por aí fora. Como terapeuta, verifico que muitas vezes as pessoas me procuram para os ajudar a modificar o outro ou para obter uma boa justificação para sair da relação. Mas o Peter disse uma coisa que nos surpreendeu a todos: “Não há relações impossíveis” e “Nunca aconselhei o divórcio a um casal”. Penso que é desta certeza que as pessoas vinham à procura. A certeza de que no meio das dificuldades há algo que permanece. Há Alguém que é fiel. Há Alguém que garante a continuidade do amor. Quando se junta a psicoterapia com a fé, junta-se o nosso trabalho com a certeza de que a fonte do amor não nos deixa e por isso vale a pena o trabalho.

E só assim podemos ir ao mais fundo de nós mesmos, ao encontro das nossas maiores carências e dos nossos maiores receios e abrir o nosso coração de mendigo ao outro, reconhecendo que também ele é feito do mesmo e não pode preencher esse vazio, mas pode ser o companheiro do caminho para a plenitude a que somos chamados. A nossa vulnerabilidade, partilhada, transforma-se na essência da nossa união. Já não temos de recear que o outro nos possa ferir e matar o amor porque, pelo poder da redenção, um coração ferido pode continuar a amar.

Como me recordava uma amiga citando António Sicari no livro “Breve Catequese Sobre o Matrimónio” é disto que se trata: “duas necessidades infinitas de amor cruzam-se com duas capacidades limitadas de amar e só no horizonte de um amor maior encontram redenção”.

Para ajudar a fazer memória e para aprofundar temos ainda alguns CD’s de conferências:

The Art of Loving your Spouse

The Power of Reconciliation

Depression : What’s the Meaning

e vários exemplares do livro “Reconciliação em Relações Feridas”.

Para encomendar, por favor, contacte Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou 917969041

Agradecemos de coração a todos – e foram muitos - os que contribuíram para que pudéssemos ter concretizado estas conferências e, com a ajuda de todos, esperamos que em 2015 a Associação dos Psicólogos Católicos possa continuar a proporcionar este tipo de encontros.

Maria José Vilaça

Presidente da Direção

Associação dos Psicólogos Católicos